Tags


 

Estou aprendendo a ser submissa da forma mais difícil que existe. O Mestre não me dá a vara de pesca e nem os peixes, somente diz: “agora você irá pescada cadelinha”. Não me deixou manual e nem me disse como, só quer ver os resultados. Então vou eu para a beira do rio e fico olhando para ele e ele olhando para mim… E agora? O Mestre me joga uma linha, então eu penso Ele vai me falar algo, me ensinar, me ajudar. Mas nada… Somente a linha. “Pesque cadelinha, ou vai morrer de fome!” Preciso lutar pela minha sobrevivência, viver sozinha na selva sem saber nada… Sento e choro e não sei o que fazer. Entro em pânico e surto. Medo e pavor, a selva é escura e fria. Ele às vezes aparece, mas nunca diz o que quer de mim. Fico confusa, pois acabo pensando que está brincando comigo, está me enganando, vai me magoar, me ferir. Ele sempre diz que não, que tudo que ele faz é para meu aprendizado. A fome é imensa e é difícil raciocinar assim. Pego a linha e amarro em um graveto fino, vou procurar minhocas, preciso aprender como amarrá-las, precisos aprender tudo. Penso em desistir, entro em desespero mais uma vez. Ele me diz para ter força e nunca desistir, que todo sofrimento tem sentido e que tudo vai se encaixar com o tempo. Mas Ele não sabe o que é ter medo, sentir fome ou frio em uma selva.

Nessa selva, somente os forte sobrevivem.

Mas se nada der certo, vou viver na selva comendo peixe cru e gritando: “My precious! My precious!”.

Fazer o quê?

precious