Tags


 

Não estive bem esses dias. Todas as vezes que acho que estou bem, alguma coisa em meu cérebro entra em pane e eu tenho um surto de medo e ansiedade. Estive lendo sobre controle de ansiedade, em partes é normal, já que vivo em uma situação atípica. Ser submissa não é fácil, já disse isso várias vezes e outras tantas eu direi: Não é fácil. Estou em treinamento há um ano e meio. O Mestre diz que está me preparando para lago sublime e grandioso, então o treinamento não será fácil. Mas o treinamento não consiste em levar chicotadas, ser amarrada, pregadores no corpo, choques… O treinamento consiste em: nada. Não tenho sessões, não tenho sexo (a não ser no swing quando vamos). Meu treinamento é voltado para dominação psicológica: Primeiro domina a mente e depois o corpo.

Mas tive uma recaída, e Ele diz: toda vez que você se deixa levar por este estado depressivo atrapalha e atrasa seu encoleiramento. Ai fica mais um momento de angustia. Me sinto culpada e me sinto fracassar. Meus olhos enchem de lagrimas e minha mente se volta para pensamentos depressivos e tristes. Nesses momentos me sinto tão só e a angustia toma conta de mim. Queria ter alguém para poder abraçar agora e chorar no ombro. Ele me diz que preciso ter alguém para ser uma confidente, alguém que me apoie nesses momentos, poderia ser uma solução se eu não me sentisse tão “deixada de lado” por ele.

Ele diz que faz parte de meu treinamento, mas isso machuca.

Quando surtei na sexta feira, Ele me falou para tirar o final de semana para mim e fosse passear com alguma amiga. Acabei saindo com um casal que pratica swing, fomos almoçar para nos conhecer pessoalmente. Não tive permissão para passar da conversa, por isso recusei a ida ao Motel. Só posso fazer sexo com a permissão Dele.

Me sinto tão neurótica!

Mas se nada der certo posso entrar para Opus Dei e virar uma devota ardorosa e me autoflagelar.

Fazer o quê?

submissa

 Ateia até virar submissa:

Deus, ser submissa não é só apanhar, não é só sexo… Mas bem que Ele poderia me dar uma chicotadinha! Só uma, por favor!