Tags

,

Parece ser bastante atraente o homem que Domina e além de tudo é possessivo. E foram muitas vezes que ouvi que essa é uma característica de um Dominador e que se o seu Dono não lhe trata como uma posse, não a pega pelos cabelos, joga na parede e diz: “você cadela minha, uga uga”… Ah! Esse não é Dominador não! Como já se viu não ter sentimentos possessivos pela sua cadela!

Esse sentimento existe, porque faz parte do jogo. Mas não podemos confundir a posse no BDSM, com o sentimento doentio de alguns relacionamentos baunilha.

Essa mistura pode gerar confusão e com o tempo desgasta o relacionamento D/s. Penso que nenhuma relação dure com esse tipo de sentimento exagerado, nem no BDSM.

Existem regras sim! Como submissa não sou mais dona de mim, devo satisfações aquele que chamo de Dono. Em nosso contrato, acordamos que não teria outros relacionamentos, que minha dedicação seria exclusiva a Ele… Sou monogâmica assumida! Também foi acordado que não haveria empréstimo para outros Dominadores. Mas isso não foi imposto, nem minha monogamia foi imposta como uma obrigação, eu quis assim. Da parte dele também, não existe outro relacionamento e então a dedicação dele também é só a mim.

Com o passar dos meses surgiu à necessidade de experimentar outras sensações e o swing foi algo que eu introduzi, pedindo a ele que fossemos em uma balada liberal. Para ambos seria uma grande novidade, um exercício de dispor de nossos sentimentos de posse e ciúmes.

E para mim foi muito mais difícil, acabei me revelando muito mais ciumenta e chata. Me rebelei várias vezes, não aceitei meu treinamento. Eu me rebelei porque em minha visão, ele não iria gostar de me ver com outro homem. Me senti até decepcionada, Não era a aceitação tranqüila que eu esperava. Outras vezes fomos as baladas liberais, não é fácil para mim… Talvez não seja fácil para Ele. Até hoje só pensei que esse fosse apenas um treinamento unilateral, até hoje nunca passou pela minha cabeça que pode ser um treinamento para Ele também. Não conheço os sentimentos de meu Dono profundamente como ele conhece os meus, eu só posso imaginar e pressupor.

Os relacionamentos devem ter como base a confiança e não o sentimento de posse. A posse como alicerce pode ser até seguro no começo, nos sentimos protegidas e amadas… Mas não é um amor puro. Confiança e respeito, esses sim fazem parte de um alicerce seguro e firme para manter um relacionamento duradouro.

foto_2058