Tags

Foram dois anos de muitos passos avançados rumo ao meu aprendizado como submissa, mas nesse final de ano dei muitos passos para trás.

Duvidei de sua integridade.

Duvidei de sua capacidade como Mestre.

Duvidei de minha própria capacidade como submissa.

Nem tudo em uma relação – de qualquer tipo – são flores. E minha relação como o meu Mestre não seria diferente. Ele é muito exigente e quer de mim a perfeição ou quase. Isso é muito perturbador. Eu me nego a ser conduzida de olhos vendados por um caminho que desconheço, mesmo sabendo que isso é necessário e faz parte de um jogo que eu aceitei entrar. Ele disse: “Você deve confiar em mim, mesmo as coisas não fazendo sentido, confie.” Eu pensei: “Tudo bem, será fácil. Ele vai me conduzir, vai me treinar, faremos sessões e vou escrever sobre isso em meu blog. Farei poemas dedicados ao meu SR e Mestre e todos vão ver o quanto seu feliz.”

Eu me enganei: para meu Mestre ser submissa e ser a “sua submissa” vai muito além… Vai muito além de minha própria compreensão.

Mas Ele não espera que eu compreenda, Ele espera que eu obedeça.

Meus erros foram muitos:

Não confiei.

Não me entreguei completamente.

Ele diz que a relação BDSM só vai depender de mim. Depende de que eu compreenda a simplicidade das coisas. E quando o que te rodeia parece ser simples de mais, dá impressão de que tem algo errado e você começa a tentar entender o que está errado.

O medo envenena e coroe o coração.

Não estamos nos falando, ele me deu um tempo para pensar e refletir sobre o que eu quero.

As coisas poderiam ter sido mais fáceis se eu tivesse encarado tudo com mais simplicidade. Infelizmente os desejos explodem e saem do nosso controle. O desejo de estar nos braços Dele, de sentir seu cheiro, sua pele, conversar olhando nos olhos… Das marcas de seu chicote.

Hoje eu sei que isso está mais distante de ser alcançado.

Perdi seu afeto.

Perdi sua confiança.

Pode ser que Ele chegue à conclusão de que sou um caso perdido, que não vale mais a pena. Para mim só ficará a certeza do quanto eu aprendi, e que se hoje sou a submissa que sou, devo tudo a Ele, O meu Mestre.foto_0835