Tags

Sabe aqueles dias que você não quer se lembrar nunca mais! Esse foi um dia assim. Realmente, encontrá-lo sempre é um misto de alegria e tristeza. Sempre prometo que irei me comportar, que não irei duvidar. Mas sempre acabo surtando. Vozes interiores me dizem: Você é uma trouxa mesmo, como pode agir assim; ainda outras dizem: tenha calma que tudo irá se encaixar. porque tudo tem um propósito. Eu estou no meio desses vozes. Disse a Ele que outra submissa poderia tirar tudo isso de letra, mas não eu. Tenho sensibilidade a flor da pele e todas as minhas experiencias são elevadas ao quadrado.

Eu falei: Queria tanto ter uma vida normal!

Ele respondeu: Não somos normais, cadelinha!

Ainda estou com aquela sensação de nó na garganta. Encontra-lo sempre é um misto de alegria e tristeza. Fico alegre por poder vê-lo, abraça-lo, conversar… A tristeza sempre vem depois, sempre existe um castigo. Castigos nem sempre significam um chicotada, uma palmada ou uma dor causada por algum objeto. A dor pode vir com uma palavra ou uma frase: “você ainda não merece”.

As palavras doem e machucam muito mais, disso eu tenho certeza.

Tudo começou porque perdi a confiança Nele e em mim mesma. Passei a questionar algumas atitudes Dele, comecei a achar que não era boa suficiente para estar com Ele, que havia algo de errado comigo, ou com Ele… Talvez mentisse!

Tive todas as incertezas do mundo, todas as dúvidas, fiquei doente, comecei a sentir o sabor da depressão. Foi um período bastante conturbado para mim. Não posso dizer que estou 100%, mas posso afirmar que manter minha boca fechada e não reclamar será de grande utilidade para mim. Queria praticar uma arte marcial, mas infelizmente meus problemas de saúde não vão permitir, meu coração não vai agüentar. Posso fazer caminhada, mas as caminhadas acabam sendo mais prejudiciais, pois caminhar me faz pensar mais, não quero pensar: vou enlouquecer!

Se fosse caminhar agora, aquela frase iria ficar em minha cabeça: “você não merece…”. Então as coisas ficariam piores para mim, voltaria para casa arrasada.

Mas irei contar a história do “você não merece…”. Alguns iram entender, outros não. Eu não entendo a principio, não me considero alguém tão ruim para não merecer, mas isso não sou eu que julgo. Ele me julgou não merecedora e me cabe apenas aceitar.

Domingo passado ele me perguntou: “cadelinha, como será sua terça feira?”. “Será tranqüila SR., estou de férias…”, Respondi. Então ele me disse que provavelmente nos veríamos nessa terça feira e iríamos à balada liberal que sempre vamos. Fiquei feliz, mas sem criar expectativas, afinal de contas ele só me daria a resposta se poderia ir para SP ou não só às 7hs da noite.

Então na segunda feira me preparei para encontrá-lo, mesmo com a chance de não dar certo. Pela primeira vez na vida depilei a virilha com cera quente em casa, sem ajuda! Foi uma sessão de tortura a parte. Tomei banho e fiquei esperando a resposta Dele para sair. Até que recebi a mensagem dele avisando que iríamos nos encontrar no mesmo esquema de sempre às 23hs no aeroporto de congonhas. Já sabia com que roupa iria: Bota, meia calça grossa e um mini vestido de lã. Por baixo um vestido curto de malha tomara que caia roxo, curto que iria usar dentro do clube, e como sempre dispensando o uso de calcinha.

Nos encontramos um pouco depois desse horário, já que ocorreu um incidente grave em seu trabalho. Enfim ele chegou e fomos para o Clube. Por ser terça feira, estava com pouco movimento. Nos sentamos e pedi algo para comer, enquanto isso ficamos conversando… Falei para ele sobre a tarefa, e perguntei a ele o que havia achado de pessoa que eu havia entrado em contato e fui conhecer pessoalmente. Ele disse que gostou e que iria agendar um dia para conhecê-la. Foi uma noite agradável, e já somos um pouco experientes na arte da abordar casais. Na maioria das vezes eu costumo abordar a mulher do casal, no que já rola as primeiras caricias e beijos, e depois se rolar uma afinidade nós vamos para alguma cabine. Outros casais já preferem o Voyerismo e ficam nos corredores dos labirintos. Eu não ligaria e ficaria ali mesmo no corredor. Adoro um exibicionismo e gosto de ver, mas o Mestre não gosta e assim sempre vamos para a cabine.

O primeiro casal, com uma mulher com voz de homem não foi muito legal, nem o segundo casal… pelo menos para mim, não foi uma noite de muita sorte. O primeiro homem gozou muito rápido, e quando estupidamente pedi para o Mestre transar comigo, foi ai que ele disse: “você não merece”. O segundo casal que abordei também para mim não foi grande coisa, o cara me disse baixinho no ouvido que estava tentando me abordar desde que me viu… Mas também foi rápido. Noite duplamente frustrante! Fazer sexo pelo sexo e nem ao menos gozar e ter ainda que ouvir “você não merece”.

Tentando não parecer frustrada, disse que o amava e que iria fazer por merecer, mas o coração já estava partido – está sempre partido, sempre machucado. Meu coração foi feito para ser ferido.

A noite para nós acabou, e Ele me deixou novamente no aeroporto e foi direto para o trabalho. Peguei o ônibus para fazer o caminho de volta para casa com eco na cabeça “você não merece”. Fui pensando nisso e tentando conter as lágrimas.

Quando se entra nesse mundo, algumas coisas precisam ficar claras, principalmente que o sofrimento será algo que irá pairar em sua vida constantemente. BDSM não é uma sessão, é um estilo de vida, para tanto tem que sentir na pele, na alma o sofrimento. Sinto que sou submetida a isso constantemente e Ele não vai me dar o que quero enquanto achar que não mereço. “Faça por merecer e terá tudo”, é o que ele diz. Não é fácil eu sei, mas quem disse que seria?

 tumblr_me068eULgX1rehddco1_500